log_ski_curva imagem.png
livelong.png
organnact.png
kailash.png
fotop.png
brcani.png

Viagem de avião

Alem do atestado de saúde fornecido pelo médico veterinário, a ANAC exige a careteira de vacinação atualizada e tratamento com vermífugo. A vacina antirrábica deve ter sido aplicada há mais de 30 dias e sua validade é de um ano.

 

Para viagens internacionais, é obrigatório o passaporte ou Certificado Veterinário Internacional (CVI), emitidos ou chancelados pelo Ministério da Agricultura, Pecuaria e Abastecimento (MAPA). Confira mais informações AQUI!

 

Não esqueça de consultar as exigências do pais de destino e providenciar outras medidas, se necessárias.

 

A reserva do vôo deve ser feita com antecedência, já que as empresas aéreas têm limites para o transporte de animais em cada vôo.

 

Verifique com a companhia aérea os limite de peso para transporte de pequenos animais junto com o dono no avião. Há algumas companhias que não transportam algumas raças, por não suportarem bem as variações de pressão.

 

Verifique as especificações da caixa de transporte, que deve permitir que o animal fique em pé e dê uma volta completa ao redor de si mesmo, conter fechos seguros, ser ventilada, ter um piso absorvente e possuir as identificações do animal.

 

Cães maiores devem ir no compartimento de bagagem e o peso é cobrado como excesso de bagagem.

 

PARA MAIS INFORMAÇÕES MINISTÉRIO DA AGRICULTURA. CLIQUE AQUI!

 

PERGUNTAS E RESPOSTAS DOCUMENTO OFICIAL. CLIQUE AQUI


 

Viagem de carro

Todos curtindo...

A dica mais importante sobre viajar com cachorro é que a experiência tem que ser boa para todos, para o cão e para todos os outros que viajam junto. Só leve seu cachorro se você não se incomodar em fazer as adaptações necessárias para que ele também se divirta. Isto pode significar, por exemplo, mudar o destino para um local pet friendly, abrir mão de visitar locais onde ele não entra ou demorar mais no trajeto na estrada. Se para você isso não é um problema e a companhia do seu cão é mais importante, vamos nessa!

Não deixe de observar seu cão durante as viagens. Alguns cachorros sofrem muito ao sair de casa, então, nesses casos o melhor é não levá-los. O importante é fazer o que deixe todos felizes!

 

Identificação...
A primeira dica serve não apenas para quem vai viajar: nunca, nunca, nunca deixe seu cachorro sair de casa sem identificação. Se ele se perder, é o meio mais fácil para que você consiga que o devolvam para sua família. Faça uma medalhinha com o nome do cachorro e telefones (de casa e celular).

 

Saúde...
Antes de pegar a estrada, verifique se as vacinas, antipulgas edesvermifugação do seu cachorro estão em dia. É importante para a saúde dele e também para a de todos os que irão conviver com seu cão. Aproveite a ida ao veterinário e pergunte sobre um kit de emergência. Você pode pedir ao veterinário para receitar um medicamento para enjôo, por exemplo, caso não saiba ainda se seu cão se sentirá mal no carro. Não arrisque medicar seu cachorro por conta própria, somente um veterinário saberá a dosagem correta! Pergunte sobre medicamentos emergenciais para alergias e para cortes, e leve numa pequena necessárie junto com os medicamentos que ele costuma usar.
Nas pet shops existem hoje opções de filtro solar e repelente próprios para cães, você pode levá-los também se achar que serão úteis no seu destino.

 

Acostumando a ficar no carro...
Se você tem um filhote ou nunca viajou de carro com seu cachorro, comece com pequenas distâncias, como passeios na sua própria cidade, por exemplo, para ver como ele se sente e para que ele se acostume a ficar no carro.

Para ajudar o seu cão a ficar mais calmo, faça um passeio com ele antes dele entrar no carro. Se ele estiver cansado, tem mais chances de dormir e ter uma viagem mais tranquila.Você pode, ainda, escolher pegar a estrada em um horário em que o cão costuma dormir. Tudo isso irá facilitar que ele relaxe durante o trajeto.
 

Para não ser multado...
De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, é proibido levar animais em partes externas do veículo ou dirigir com animais no seu colo, entre os braços ou pernas. Para evitar que um cão atrapalhe o motorista e viaje seguro, portanto, o ideal é que ele esteja preso. Você pode usar uma caixa de transporte, uma cadeira própria para cães ou um cinto adaptador para eles. O importante é nunca viajar com seu cão solto e muito menos nos bancos da frente. Também não o deixe ir com a cabeça para fora da janela. A gente sabe que alguns cães amam um ventinho na cara, mas você não deixaria seu filho humano fazer isso, não é? Pois então, proteja também seu cão.

 

Sem hora de chagada...

Viajar de carro com um cachorro é preciso ter mais paciência para chegar ao destino final. É preciso programar paradas para que eles bebam água, façam xixi e estiquem as perninhas e para que, afinal, o trajeto não seja chato pra eles. Programe paradas de 2 em 2 horas.

Paradas pet friendly...

Na hora de parar, você tem duas opções. Uma delas é ir para um lugar que você saiba ser pet friendly, como essa unidade do Frango Assado na Dutra ou o Kiosque do Alemão na Via Lagos. Mas caso você não saiba onde tem uma dessas paradas, uma dica é procurar postos menores, mais “locais” em que lanchonetes etc sejam abertas. Paradas maiores costumam ser fechadas (geralmente por causa do ar condicionado) e seu cão não vai poder entrar. Então você terá que revezar com alguém para ir comprar algo e comer no carro. Paradas menores normalmente tem uma mesinha perto da porta e dificilmente não permitem que entremos com cachorro.

 

Limpeza...
Sempre, sempre, sempre tenha um saquinho à disposição para catar o cocô do seu cachorro. Nunca deixe a sujeira dele no chão! Também é útil ter lenços umedecidos e lenços de papel no carro caso ele vomite, ou para limpá-lo caso ele encoste em alguma planta que o irrite ou se suje demais na lama (os meus adoram lama!).Uma dica de quem já viaja há alguns anos com cachorro: coloque uma capa própria no banco traseiro.

 

A mala do seu cão

Tem medo do seu cachorro estranhar o hotel? Garanta que ele se sinta em casa levando a caminha, cobertor, brinquedos e, principalmente, a comida que ele está acostumado a comer em casa. Além destes itens, não esqueça dos potes para ele comer e beber água e um kit higiene. 

 

Nem todos gostam de cães

No seu destino, mantenha seu cão sempre na guia, a não ser em locais privados onde seja expressamente permitido que ele fique solto.

Se você viajou com seu cachorro, ele deve ser inserido na programação e receber atenção. Então, brinque com ele, não o deixe entediado. Cachorro cansado não incomoda outras pessoas latindo ou chorando. Antes de entrar em um estabelecimento comercial, pergunte se o seu cão pode te acompanhar e sempre cate a sujeira que ele fizer.

Quanto mais pessoas conviverem com cães sem problemas, mais abertas elas ficarão a tornar os ambientes pet friendly. Afinal, quem convive com cachorro sabe que a companhia deles é melhor coisa do mundo!

 

Pesquise hotéis que aceitam seu amigo peludo...